sábado, 1 de abril de 2017

[ENTREVISTA 2] ALVARO HENDRICK COSTA

Brendo Hoshington



"Cinza é quem está privado de emoções. É quem vive na penumbra psicológica."

Alvaro Hendrick Costa

Acompanhe essa entrevista ao som de uma das músicas prediletas do autor:




Olá pessoal, tudo bem com vocês?
Espero que sim, pois hoje o Book of Livros irá lhes apresentar mais um autor espetacular. É claro que estamos falando do talentosíssimo Alvaro Hendrick Costa, autor do livro Historinhas.


O livro se encontra inteiramente gratuito no Wattpad.

1. Quem é Alvaro Hendrick Costa?

Se eu disser que eu sei quem eu sou vou estar sendo um pouquinho pretensioso, né? Todo dia eu descubro uma coisinha nova sobre mim (seja boa ou não).

2. Quando percebeu que a escrita fazia parte da sua vida?

Eu sempre gostei de ler, desde muito novo. Mas quando aumentei o ritmo de leitura no começo da minha adolescência (uns 12, 13 anos...) acabei começando a escrever. Acho que é um processo natural pra todo leitor, mesmo que não continue escrevendo. Todo mundo tem essa fase. A minha ainda tá durando.

3. Qual o primeiro livro que se lembra de ter lido?

Minha infância foi regada a gibis (indo de Turma da Mônica até aqueles antigões da DC que a gente só acha em sebos etc) e livrinhos de coleções com contos tipo João e o Pé de Feijão, Branca de Neve, O Patinho Feio e tantos outros. Então eu não lembro exatamente qual foi o primeiro. Um que me marcou muito foi "O Menino Maluquinho". Lia todos os dias na biblioteca da escola.

4. Como era a primeira história que você criou?

Foi uma história muito violenta, apressada e (obviamente?) mal escrita sobre uma cidade que tinha embates de sereias e lobisomens. Nessa época eu estava viciado na saga Crepúsculo, então o clima e os personagens eram muito parecidos.

5. Quais são suas inspirações?

Minha rotina, meus amigos, minhas frustrações, livros que leio, notícias interessantes e as pessoas que estão ao meu redor. Tive uma época que escrevia histórias e poemas sobre pessoas aleatórias que eu via no ônibus indo pra universidade. Tudo pode ser um gatilho, se você prestar bastante atenção.

6. Metas para o futuro?

Retomar minha disciplina de escrita (ando muito preguiçoso ultimamente) e continuar autopublicando minhas obras. Pretendo estudar formas de deixar as minhas publicações acessíveis (em questão de preço, etc). Só quero ser lido.

7. Como você enxerga o quadro atual da literatura no Brasil?

Intenso. Cresci em uma bolha que não via o potencial desse mercado. Somente de uns cinco anos pra cá que comecei a consumir obras nacionais. E a cada dia que passa eu me surpreendo mais com a qualidade e a variedade de materiais publicados aqui, tanto em livros tradicionais quanto autores que optaram pela autopublicação ou sites como Wattpad. É possível achar de tudo.

8. Qual é o seu livro nacional predileto?

Não consigo selecionar um livro favorito, pra ser bem sincero. Então eu vou indicar autores, acho mais completo. Eu sou absolutamente viciado em Rubem Fonseca e Patrício Jr. São os primeiros nomes que aparecem na minha cabeça. Curto muito o pouco que li de Clarice Lispector e do Caio Fernando Abreu. Também estou descobrindo as obras de Raphael Montes e Affonso Solano. Tenho os meus amigos que escrevem como o Pedro Augusto Silva e o Renan Xavier. Acho que não consigo lembrar de todo mundo.

9. O que gosta de fazer nas horas vagas?

Alterno entre Netflix e ler minha pilha cada vez maior de livros (o melhor é que, com o Kindle, eu nem vejo a lista subindo vertiginosamente). Cerveja também é legal (risos).

10. O que você diria para uma pessoa que está começando agora?

Continue escrevendo. Tenha bons leitores beta. Leia Chuck Palahniuk. 


Confira agora um conto escrito por Alvaro Hendrick Costa:


SILÊNCIO 
Conto da antologia Historinhas #2


É bom saber que existe a possibilidade de ficar em silêncio por alguns minutos, sem falar nada. É como dizem: se você se sente confortável para ficar em silêncio com alguém, sem ter que preencher os vazios com assuntos inúteis, talvez você queira manter essa pessoa perto de você por toda a sua vida. Não precisa se preocupar em pensar. Tudo que preciso é existir. E me sentir grato por existir. Os recheios de silêncio são azedos, matam aos poucos. É muito fácil preencher o silêncio com música, grunhidos, onomatopéias. Difícil é preencher o silêncio com respiração, batimentos cardíacos, olhares, toques, pensamentos, contemplação. Encosta a cabeça no meu peito e respira. Não precisa falar nada. Só exista. Exista, me abrace e respire fundo.


Para saber mais: https://alvarohendrick.wordpress.com/ (site sobre minha escrita criativa) e https://portalgatilho.wordpress.com/ (blog literário).


Já pensou em ter uma almofada do seu livro preferido? Ou daquela série que você não perde um episódio? Então conheça a Pillows - Almofadas Personalizadas



Brendo Hoshington / Administrador & Editor

Mora em Pernambuco e sonha em conhecer o mundo, mas por enquanto viaja apenas em livros e séries.

4 comentários:

  1. Parabéns Álvaro, a cada dia vou tendo mais inspirações em escrita e fazer valer a pena cada virgula e ponto escrito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já eu a cada entrevista vou ficando fã de uma nova banda haha

      Excluir
    2. Oi, Leonardo! As inspirações estão ao nosso redor, nós só precisamos ter mais atenção :) Boa sorte na escrita!

      Excluir
  2. Interessante.

    Gostei de conhecer o Alvaro, que aparenta ser um cara muito centrado em seus objetivos, bem inteligente. ''Leia Chuck Palahniuk'', vou já seguir a dica.

    Forte abraço e sucesso!

    ResponderExcluir