sábado, 6 de agosto de 2016

[RESENHA] IN NOMINE PATRIS - SANGUINIS SIGILLUM

Brendo Hoshington



“Naquele lugar esquecido, ele sentia que mil pares de olhos o espreitavam.”


Título: In Nomine Patris - Sanguinis Sigillum
Autor: Décio Gomes
Editora: Tribo das Letras
Páginas: 253
Gênero: Fantasia/Terror



Ao receber uma carta de urgência, lacrada pelo selo da Ordem Mundial de Venatores, Jullian Bergamo é levado até Bedford, uma pequenina cidade longínqua cercada por uma vasta floresta. Lá, reencontra-se com o velho Mills, um venator aposentado que precisava de sua ajuda para conter um mal iminente: um ser encapuzado que estava a misteriosamente sequestrar crianças durante as madrugadas. Estudando a cidade e seus moradores, Jullian vê-se cercado por novos aliados, mas também por novos e perigosos inimigos. Pelas ruelas escuras e pelas entranhas da floresta surge, assim, uma trama onde nada é o que parece, e que pouco a pouco leva o jovem padre a descobrir sobre um terrível mal secular que, com a ajuda de uma poderosa feiticeira, de tudo fará para libertar-se das mais obscuras profundezas.



Julian Bergamo é um Venator, um missionário da igreja católica treinado para combater o mal, e toda face que esse venha a adquirir.

Após receber um chamado de emergência, o padre viaja para Bedford, uma cidadezinha pequena onde algumas crianças têm desaparecido de forma misteriosa...

Após tecer com destreza a trama de Dominus Mortuorum, primeiro livro da série In Nomine Patris, Décio Gomes conseguiu a proeza de reinventar um trailer ainda mais eletrizante para Sanguinis Sigillum, aprofundando-se ainda mais no universo das sombras.

Os personagens de In Nomine Patris são os principais percussores responsáveis por transportar o leitor para dentro do livro. A verossimilhança e a forma como cada um deles interage com os conflitos a sua frente te faz pensar o quanto tudo aquilo parece real.

Décio Gomes possuí o talento nato de transpassar a verdadeira essência de suas ideias para o papel. Isso se mostra claramente na narração, que possuí o tom necessário para o contexto da história.

Os cenários, os trajes e as características dos personagens são passadas para o leitor de forma tão fluente que as cenas se formam quase como automaticamente em sua cabeça.

Talvez a maior mensagem do livro seja sobre a importância da amizade. Sobre o fato de que não importa se seu antagonista é uma vilã sem escrúpulos algum ou um ser monstruoso que habita nos mais baixos escalões do inferno, se você tiver um alguém verdadeiro ao seu lado você será capaz de vencê-los. 

Adquira já o seu exemplar clique aqui



Acompanhe o blog Tô Pensando em Ler:


Acompanhe o blog Quatro Estações: 


Confira o canal do Filósofo dos Livros


Confira o canal Livroníacos



Acompanhe o blog da Karen Soarele 


    Acompanhe o blog Todo Errado:



Brendo Hoshington / Administrador & Editor

Mora em Pernambuco e sonha em conhecer o mundo, mas por enquanto viaja apenas em livros e séries.

6 comentários:

  1. Pelo que você escreveu desse livro ele parece ser bem detalhado em suas cenas e com uma história fluente e continua, basicamente o livro perfeito para mim hahaha. Uma resenha maravilhosa, realçando os elementos mais especiais do livro e trazendo sempre a vontade de ler o livro, Brendo, não é brincadeira dizer que você tem dedos mágicos para escrever estas resenhas.

    ResponderExcluir
  2. Resenha Fantástica!
    O livro tem parece ser.

    ResponderExcluir
  3. Que chique, menino!!!
    Concordo com o João. Você tem dedos mágicos para escrever estas resenhas.
    Quero ler a trilogia completa!!!!!
    Abraços.

    ResponderExcluir