terça-feira, 15 de agosto de 2017

[ENTREVISTA] BEATRIZ C. CAVALCANTE

Brendo Hoshington


“Nós humanos vivemos tudo com intensidade, corremos perigo a cada passo que ousamos em dar e é por isso, que muitas vezes, arriscamos em nossos palpites. Se fosse ao contrário, temeríamos até a nossa própria sombra.”
Beatriz C. Cavalcante

Acompanhe essa entrevista ao som de uma das músicas prediletas da autora:


Olá pessoinhas, estamos de volta, lembrando que até o dia 10 de setembro teremos post todos os dias aqui no Book of Livros a cerca da Editora Pendragon, então fica ligado e não deixe de comentar.

E seguindo com o Mês of Pendragon trago-vos hoje uma entrevista feita com a escritora Beatriz C. Cavalcante, autora de O Escudo do Senhor.


Conferia a resenha do livro no site da editora.

1. Quem é Beatriz C. Cavalcante?

Uma escritora que gosta de arriscar em todos os gêneros, mas, que tem a maior paixão por fantasia. Alguém que costuma misturar seus jogos preferidos e seus sonhos malucos em meio às palavras. E por fim, alguém que passa a maior parte do tempo lendo, assistindo Netflix e sempre buscando novos conhecimentos, seja qual for o assunto.

2. Quando percebeu que a escrita fazia parte da sua vida?

Durante a escola. Todos os textos que escrevia eram sempre elogiados, tanto pela forma de escrita, quanto pela criatividade. Com isso, os meus professores, independentemente da matéria, me incentivavam a se tornar escritora. E hoje, tenho que agradecer a todos eles por tal incentivo.

3. Qual o primeiro livro que se lembra de ter lido?

 Pippi Meia Longa, escrito pela autora Astrid Lindgren.

4. Como era a primeira história que você criou?

Resumidamente, o anjo Castiel iria precisar de um receptáculo para conseguir completar alguns desafios e assim, conhecer a sua protegida, e ambos iriam iniciar uma jornada para impedir a destruição do mundo causada por Lúcifer. No início era para ser uma fanfic da série Supernatural, nunca imaginei que pudesse publicar alguma história minha, então só fazia por diversão. Até que me dei conta de que essa história se tornaria uma grande porcaria e resolvi mudá-la totalmente, e de diversão, passou a se tornar algo mais sério.

Castiel acabou se tornando Rhaziel, o Escudo do Senhor, alcunha dada ao portador da espada lendária Mundans. Nessa história, resolvi misturar tudo o que gosto, deixando a minha “essência”. A forma e os acontecimentos que levarão Rhaziel a conhecer sua protegida mudaram, e o pequeno problema aumentou. Dessa vez, Rhaziel não só terá a ajuda de sua protegida para impedir a destruição do mundo, como também terá mais um problema para resolver: impedir que Verum, o cajado que atribui a verdade absoluta ao portador e a fraqueza do céu, caia em mãos erradas. Tentei deixar a história mais original e mais emocionante possível. Aquele tipo de história que você lê e pega um carinho enorme por ela.

5. Quais são as suas inspirações?

Tudo. Acredito eu que, qualquer coisa que tenha em nosso dia-a-dia nos faz refletir e acaba trazendo a inspiração que precisamos.

6. Metas para o futuro?

Viajar pelo mundo e descobrir coisas novas, aumentando cada vez mais os meus projetos literários. E também, me tornar uma cineasta renomada.

7. Como você enxerga o quadro atual da literatura no Brasil?

Em um aumento extraordinário! Eu fico boba só de pensar que a cada dia que se passa, novos talentos vão surgindo e com eles, o incentivo em ler nacionais, fica cada vez maior. 

8. Qual é o seu livro nacional predileto?

Eu não tenho favoritismo em meio aos nacionais. Todas as obras que li até agora são maravilhosas e dizer cada uma delas, dará uma lista enorme.

9. O que gosta de fazer nas horas vagas?

Além de jogar videogame, gosto de assistir séries, filmes e ler um bom livro. Mas também, quando estou sozinha – pra ninguém achar que eu sou biruta –, gosto de conversar com as paredes, criando novas histórias para futuros projetos.

10. O que você diria para uma pessoa que está começando agora.

Seja ousado, persista em seus sonhos, arrisque. Nada na vida é fácil, mas também, nada é impossível. Sonhe, lute, crie e imagine, pois aquilo que deseja está mais perto do que pensa.

11. O que te fez escolher a PenDragon?

No início, eu estava buscando por uma editora que não me considerasse somente “apenas alguém que publicou conosco”. Eu queria uma que me considerasse como se fosse alguém da família. E é isso o que a PenDragon é: uma família.
Todos são ótimos, ou melhor, MARAVILHOSOS. Não poderia ter escolhido uma editora melhor para me acolher e acolher o meu sonho.


Confira agora o prólogo de O Escudo do Senhor:

“Há muito tempo atrás, depois que o Jardim do Éden foi corrompido pelo mal e os humanos começaram a gerar seus filhos, e seus filhos gerar os filhos deles, os anjos uniram suas forças e criaram um encantamento capaz de introduzir outros anjos na terra. Esse encantamento tinha a finalidade de manter o céu informado sobre tudo o que ocorria com os humanos. E principalmente, protegê-los de todo mal. Sendo assim, alguns anjos eram escolhidos para se tornarem anjos da guarda. Porém, para realizar o encantamento, os anjos deveriam renascer e viver como humanos, até que algum outro anjo pudesse despertá-los e todas as suas memórias retornassem, assim como a sua real missão na terra.
Haryel, o anjo responsável por designar as missões, sabia que um dia deveria despertar um de seus irmãos, e esse dia finalmente chegou. Ela não estava totalmente preparada para reencontrá-lo depois de anos, mesmo que sejam apenas poucos, parecia que não o via há muito tempo, quase uma eternidade. Apesar de não estar preparada, ela estava deveras ansiosa pelo reencontro com o seu irmão. Esse pensamento deixou um leve sorriso passar por entre os seus lábios.
— Kenael, meu irmão, venha a minha sala — disse o anjo Haryel, para uma sala sem nada, além de móveis, ela e seus pensamentos. Porém, foi como chamá-lo diretamente, pois em questão de segundos, Kenael estava em frente a janela da sala. Com suas asas brancas como a neve e felpudas, farfalhando no vácuo daquela sala. Assim que o viu, ela continuou: — Finalmente chegou a hora.
— Devo despertá-lo? — perguntou Kenael, ocultando a ansiedade em sua voz, enquanto cortinas brancas, de tecido leve e com detalhes dourados, chocavam-se contra suas asas.
— Certamente — disse Haryel. — Quando despertá-lo, peça-lhe que venha ao céu. Ele precisa se preparar, um anjo não deve sair por aí usando armas humanas. Agora vá, desperte-o e que Deus esteja contigo!
Ao receber a sua missão, Kenael abriu um enorme sorriso entre os lábios e fez uma reverência pousando o punho sobre o peito como forma de respeito a sua irmã, além do mais, o anjo que atribuía as missões celestiais claramente era superior a qualquer anjo. Antes de ir, deu uma última olhada em sua irmã, que estava concentrada demais para se despedir. Ele não se importava, achava sua concentração surpreendente. Por trás daquele rostinho angelical e sério, havia uma mulher alegre e decidida.
Por um momento, lembranças do passado invadiram a sua mente. Lembrou-se de como Haryel falava com empolgação sobre o seu sonho. Desde a criação do universo, sempre sonhou em sentar-se naquela mesa, que não só para ela, mas para todos no céu, era uma grande conquista. Porém, mal sabia que a partir do momento que se sentasse ali, nada seria fácil.
— Que Deus esteja contigo! — ciciou Kenael e logo já não estava mais ali.”



Já pensou em ter uma almofada do seu livro preferido? Ou daquela série que você não perde um episódio? Então conheça a Pillows - Almofadas Personalizadas, uma loja do Book of Livros.








Brendo Hoshington / Administrador & Editor

Mora em Pernambuco e sonha em conhecer o mundo, mas por enquanto viaja apenas em livros e séries.

2 comentários:

  1. E quem vai bater no Facebook por não ter deixado o meu comentário aqui? EU! hahahaha'
    Então, sei que vai parecer estranho mas... mesmo assim eu irei comentar de novo (eu sou dessas huehuehue).
    Mais uma vez eu quero estar agradecendo ao Brendo, por me proporcionar esse espaço em seu blog. Para mim, foi uma grande honra. Eu nunca imaginei que um dia seria entrevistada como escritora. Agora vem aquela linda frase que adoro: "parece que o jogo virou, não é mesmo?". Me diverti bastante respondendo essas perguntas maravilhosas (que algumas até me fizeram quebrar a cabeça para respondê-las). <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha, Bia, você é maravilhosa e acredito que essa será apenas a primeira de muitas <3

      Excluir